Assinatura digital ganha tração nos seguros e acrescenta valor ao PIB

  • ECO Seguros
  • 5 Maio 2022

Assinaturas digitais e contratos inteligentes são inovações seguras e estão a ser integrados nas seguradoras, disseram especialistas no seminário "Digital Contracts & ID". Veja o vídeo.

Brais Mendez (Docuten); Tiago Dias (Unlockit); Fernando Vicente (Multicert-SIBS), Miguel Cruz (Digital Sign), Paulo Padilha (AFIP-Prévoir) durante um painel do seminário “Digital Contracts & ID”, na Abreu Advogados.

Organizado pela Associação FinTech e InsurTech Portugal (AFIP) e a seguradora Prévoir, com parceria da Abreu Advogados, o encontro reuniu quem sabe de tecnologias para contratos inteligentes (Smart contracts) e identidade digital (ID).

Paulo Padilha, responsável de inovação na Prévoir e membro do Workgroup InsurTech na AFIP, introduziu a sessão de trabalho e coordenou o primeiro painel dedicado a “Identidade Digital e Assinaturas Digitais”. Um segundo bloco abordou os “Smart contracts” e, ao final da manhã discutiram-se as “Questões Legais” e de report em torno do ID e contratos digitais.

ECOseguros, parceiro de media na iniciativa que teve transmissão online em direto, recolheu algumas ideias que marcaram a primeira parte do seminário.

Tiago Dias (Unlockit) afirmou que muitos problemas do mercado imobiliário, onde a empresa inovou, fazem sentir-se no insurtech, “mas vão resolver-se”. Realçando o impacto da assinatura digital na economia (pib), referiu que, em Portugal, se toda a gente utilizasse assinatura digital, isso resultaria num ganho significativo para a economia e citou exemplo da Estónia, a “maior startup governamental do mundo” onde a generalização da ID gerou ganho equivalente a 2% do pib do país.

A Multicert implementou as primeiras soluções de identidade e assinatura digital em Portugal, com os passaportes eletrónicos. Na apresentação que precedeu o debate, Fernando Vicente (Multicert-SIBS) destacou a solução “mTrust” amplamente adotada em Portugal para certificação e valor legal dos processos de desmaterialização. Já Miguel Cruz (Digital Sign), representando a tecnológica que opera como QSP (Qualified Service Provider) em Portugal e no Brasil na certificação de assinatura digital qualificada, inovação com valor legal mais forte e absoluto, que recomenda para contratos de seguro, comparativamente com com a digital simples ou as assinaturas eletrónicas avançadas.

A solução da Digital Sign, suportada na plataforma Signing Desk, foi adotada pela Una Seguros, nos contratos B2C, mas a plataforma também está resolver problemas em outros setores, como no retalho (Jerónimo Martins) e na energia (edp).

No evento, onde marcaram presença Luiz Ferraz (Mandatário geral da Prévoir em Portugal) e João Paulo Matos, em representação da AFIP, foi realizada assinatura de um protocolo entre a Associação Portuguesa de Blockchain e a AFIP.

O vídeo do evento, que contou igualmente com outros intervenientes com participação em modo remoto (não presencial) pode ser revisto aqui.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Assinatura digital ganha tração nos seguros e acrescenta valor ao PIB

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião