Falta de competências em cibersegurança origina 80% das tentativas de ataques

O número de profissionais dedicados à cibersegurança precisa de aumentar 65% para defender eficazmente os ativos críticos das empresas, defende a Fortinet.

Oito em cada dez organizações inquiridas sofreram, pelo menos, um ciberataque que poderiam atribuir à falta de competências ou de sensibilização no que diz respeito à cibersegurança. Além disso, 64% das organizações sofreram violações que resultaram em perda de receitas, custos de recuperação e multas, revela o relatório “Cybersecurity Skills Gap 2022″, elaborado pela Fortinet.

“A falta de competências não é apenas um desafio de escassez de talento, mas tem também um impacto severo nos negócios, tornando-o numa das principais preocupações dos líderes executivos em todo o mundo”, começa por dizer a Fortinet, em comunicado.

A nível global, o número de profissionais dedicados à cibersegurança precisa de aumentar 65% para defender eficazmente os ativos críticos das empresas. Embora o número de profissionais necessários para preencher a lacuna tenha diminuído de 3,12 milhões para 2,72 milhões no ano passado, este é ainda um gap significativo que deixa as organizações vulneráveis.

Tendo em conta os custos crescentes dos ataques nos lucros e na reputação das organizações, a cibersegurança está a tornar-se cada vez mais uma preocupação e prioridade ao nível da administração.

Globalmente, 88% das organizações, que têm um conselho de administração, informaram que o seu conselho faz perguntas específicas sobre cibersegurança e 76% das organizações têm um conselho de administração que recomendou um aumento no número de especialistas em TI e cibersegurança.

Formações e certificações para aumentar o conhecimento dos colaboradores são também alguns dos recursos sugeridos no relatório.

Com o objetivo de conseguir fazer a diferença no gap de competências até 2026, a Fortinet comprometeu-se a formar um milhão de profissionais, de forma a aumentar as competências cibernéticas, bem como a consciencialização.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Falta de competências em cibersegurança origina 80% das tentativas de ataques

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião