Sexta vaga de Covid pode custar 30 milhões de horas de trabalho

  • ECO
  • 25 Maio 2022

Baixas e isolamentos por causa das infeções por Covid-19 deverão ter um impacto de 30 milhões de horas de trabalho perdidas nesta sexta vaga da pandemia, aponta estudo do Técnico.

Com o pico esperado na primeira quinzena de junho, a sexta vaga da pandemia de Covid-19 poderá provocar cerca de 30 milhões de horas de trabalho perdidas, de acordo com um estudo do Instituto Superior Técnico (IST) citado pelo Correio da Manhã.

“Nesta sexta vaga, o custo de deixar o vírus da Covid-19 a circular livremente está estimado em mais de 30 milhões de horas devido a baixas e isolamentos, o que terá um impacto relevante no Produto Interno Bruto”, refere o relatório de um grupo de trabalho da universidade que acompanha a evolução da Covid-19. A estimativa tem como pressuposto que o pico desta vaga será atingido na primeira semana de julho, caso não se “verifiquem fatores que acelerem a transmissão” do vírus.

Os especialistas do IST recomendam o uso de máscara em situações de risco de contágio, como grandes eventos ao ar livre, concertos e eventos em ambiente fechado, e também no trabalho, se se verificar uma proximidade entre trabalhadores.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Sexta vaga de Covid pode custar 30 milhões de horas de trabalho

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião