Fisco lesado em 5,17 milhões nos contratos de Jonas com o Benfica

  • ECO
  • 2 Junho 2022

Em causa está o contrato assinado com o Benfica em 2014 e sucessivas renovações, em que Jonas recorreu a uma empresa detida pela mãe e pelo irmão, que terá passado faturas falsas.

Jonas foi constituído arguido por estar envolvido numa fraude fiscal qualificada que terá lesado o Estado em 5,17 milhões de euros, avança o Correio da Manhã (acesso pago). Em causa está o contrato assinado com o Benfica em 2014, e outras duas renovações, em que o jogador terá usado uma empresa da família para passar faturas falsas. Este é um dos negócios investigados no processo “Fora de Jogo”.

Ao assinar pelo clube da Luz, em 2014, e quando renovou o mesmo contrato, em 2017 e 2018, Jonas terá recorrido à Empreseprev, uma empresa detida pela mãe e pelo irmão, que terá passado o que se consideram ser faturas falsas por prestações de serviços que nunca ocorreram. Essas verbas eram efetivamente rendimentos de trabalho não tributados em sede de IRS e Segurança Social.

Jonas, de acordo com o Observador, terá lesado o Fisco em 2,85 milhões de euros. Já o Benfica evitou pagar 2,32 milhões de euros à Segurança Social, o que dá o tal prejuízo conjunto de 5,17 milhões de euros.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Fisco lesado em 5,17 milhões nos contratos de Jonas com o Benfica

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião