Preço do petróleo desce em abril, mas combustíveis sobem

Apesar de um alívio nas cotações internacionais de petróleo, os preços de venda ao público de combustíveis como o gasóleo, gasolina e GPL Auto aumentaram em abril.

A Entidade Reguladora do Setor Energético (ERSE) indica que, em abril, o preço do barril de petróleo diminuiu no mercado spot face ao mês anterior. No entanto, o preço médio de venda ao público da gasolina e gasóleo subiram nesse mesmo mês e, no caso do gasóleo, o regulador indica que a margem de comercialização pesou.

O preço do West Texas Intermediate, barril de referência em Nova Iorque, diminuiu em abril 6%, para um valor médio de 102,03 dólares, por comparação ao barril negociado em março. Em Londres, a cotação do barril de referência Brent, teve um comportamento idêntico, diminuindo 10,4% no mesmo período, para um valor médio de 105,22 dólares.

Já “o valor médio das cotações internacionais de gasolina e gasóleo permaneceu relativamente em linha com os valores verificados no mês anterior”, indica a ERSE. Mais acentuada foi a diminuição na cotação do GPL Auto, que caiu 6,4%. A exceção do jet fuel, combustível usado nos aviões, que aumentou 4%.

Contudo, os preços de venda ao público médios do gasóleo e da gasolina registaram subidas de 4,1% e 2,3%, respetivamente, em abril, face ao mês anterior, estima o regulador. A alteração na gasolina foi motivada “pelas componentes de incorporação de biocombustíveis e de cotação e frete”, mas, no caso do gasóleo, o regulador justifica também com as componentes de incorporação de biocombustíveis, mas acrescenta os “custos e margem de comercialização”.

Os custos de operação e margem de comercialização, a incorporação de biocombustíveis, a logística e a constituição de reservas estratégicas representam, em conjunto, cerca de 13,6% do preço de venda ao público médio do gasóleo simples, atrás dos 42,2% referentes a impostos e dos 44,2% referentes ao valor da cotação internacional e frete.

Onde fica mais barato abastecer?

Na mesma análise, o regulador deteta que os distritos de Castelo Branco, Braga e Aveiro registaram os preços de gasóleo e gasolina mais baixos em Portugal continental. No extremo contrário, Bragança, Beja e Faro apresentaram os preços mais altos.

Os hipermercados continuam a apresentar as ofertas mais competitivas de gasóleo e gasolina: 1,5% abaixo dos operadores do segmento low cost e 5% inferiores aos dos postos de abastecimento que operam sob a insígnia de uma companhia petrolífera, representando uma diferença de 10,2 cêntimos por litro.

Gás de garrafa encarece

Em abril, o preço médio de venda ao público nas garrafas mais comercializadas de gás propano e butano (as G26), que também é influenciado pelas cotações internacionais de petróleo, sofreu uma variação de 6,4% e de 5,5%, respetivamente.

No final de contas, “prevê-se que o aumento dos preços possa ter um efeito dissuasor no consumo de petróleo no segundo semestre de 2022”, conclui a ERSE. O consumo de combustíveis derivados do petróleo, considerando a gasolina, o gasóleo, o jet e o GPL, diminuiu significativamente face a março, depois do aumento expressivo verificado entre fevereiro e março.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Preço do petróleo desce em abril, mas combustíveis sobem

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião