Urgências de ginecologia e obstetrícia condicionadas durante a noite no Amadora-Sintra

  • Lusa
  • 15 Junho 2022

Entre as 20:00 desta quarta e as 08:00 de quinta-feira, os utentes de ginecologia e obstetrícia serão reencaminhados para outros hospitais da região de Lisboa.

O Hospital Amadora-Sintra pediu para as utentes de ginecologia e obstetrícia em ambulância serem reencaminhadas para outros hospitais de Lisboa entre as 20:00 desta quarta e as 08:00 de quinta-feira, mantendo as urgências abertas para quem se dirija à unidade.

Fonte do Hospital Professor Doutor Fernando Fonseca (HFF) confirmou à Lusa que foi solicitado ao Centro de Orientação de Doentes Urgentes (CODU/INEM) o reencaminhamento, entre as 20:00 de hoje e as 08:00 de quinta-feira, de utentes de ginecologia e obstetrícia para outros hospitais da região de Lisboa, “assegurando a resposta em rede dos hospitais do Serviço Nacional de Saúde”.

No entanto, o hospital “permanecerá em funcionamento, assegurando os cuidados necessários a doentes urgentes/emergentes que compareçam na unidade hospitalar” pelos seus próprios meios, acrescentou a mesma fonte. A maternidade do hospital não está encerrada e não encerrará, mas o serviço de urgência para ginecologia e obstetrícia estará condicionado, acrescentou.

Este condicionamento das urgências no Amadora-Sintra surge na sequência de encerramentos das urgências de ginecologia e obstetrícia um pouco por todo o país nos últimos dias, por dificuldades em assegurar escalas. Numa nota, a Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo (ARSLVT) admitiu esta quarta que, nos próximos dias, “poderão existir limitações em alguns hospitais, com desvios da urgência externa de Obstetrícia/Ginecologia para outras unidades da região, que assegurarão a resposta do SNS [Serviço Nacional de Saúde] e o seu funcionamento em rede”.

A ARSLVT reafirmou também que os hospitais da região e o CODU/INEM “mantêm estreita articulação para garantir o normal funcionamento” das urgências das maternidades e “em segurança”. “Caso haja necessidade de encaminhar utentes, as equipas hospitalares articulam com o CODU/INEM, no sentido de identificar a unidade que naquele momento tem melhor capacidade de resposta”, lia-se na nota.

Ainda segundo a ARSLVT, esta quarta “estão a funcionar todos os serviços de Ginecologia/Obstetrícia da região [de Lisboa] que possuem essa valência”. A ARSLVT anunciou também que as urgências de Ginecologia/Obstetrícia do Centro Hospitalar Barreiro-Montijo (CHBM) vão também estar encerradas entre as 21:00 de quinta-feira e as 09:00 de sexta-feira.

A ARSLVT explica que as grávidas “devem dirigir-se/serão encaminhadas para outras unidades da rede”, nomeadamente para o Centro Hospitalar de Setúbal (CHS) e para o Hospital Garcia de Orta (HGO), em Almada, assim como para as maternidades da cidade de Lisboa que, no referido período, estarão a funcionar com normalidade.

O Centro Hospitalar do Oeste também informou esta quarta da existência de constrangimentos nas urgências do Hospital de Torres Vedras, prevendo que o mesmo possa suceder, na noite de quinta-feira, nas urgências de Pediatria da mesma unidade.

“No decorrer do dia de hoje têm-se verificado alguns constrangimentos no Serviço de Urgência da Unidade de Torres Vedras, pelo que foi solicitado ao Centro de Orientação de Doentes Urgentes [CODU], o reencaminhamento de doentes críticos para outras unidades hospitalares, de acordo com a situação clínica”, referiu o Conselho de Administração do Centro Hospitalar do Oeste (CHO) num ‘mail’ enviado à agência Lusa.

Na terça-feira, a Unidade Local de Saúde do Norte Alentejano (ULSNA) já tinha anunciado que as urgências de Obstetrícia do hospital de Portalegre iriam encerrar a partir das 05:00 de hoje e até às 08:00 de sexta-feira.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Urgências de ginecologia e obstetrícia condicionadas durante a noite no Amadora-Sintra

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião