Grupo EDP pressiona bolsa de Lisboa. Europa avança e Wall Street brilha

EDP e EDP Renováveis caíram mais de 2% e levaram a bolsa nacional a desviar-se dos ganhos registados na Europa. Mota-Engil somou mais de 1% após anunciar contrato de 580 milhões no México.

Com quedas de 2%, a EDP e a EDP Renováveis pressionaram a bolsa de Lisboa na sessão desta terça-feira, enquanto as bolsas europeias avançaram e Wall Street brilha em recuperação das fortes quedas da semana passada.

O PSI caiu 0,71%, para 5.957,00 pontos, com dez das 15 cotadas que compõem o principal índice português a fecharem abaixo da linha de água. A EDP cedeu 2,63%, para 4,41%, e a sua subsidiária de energias renováveis perdeu 2,25%, para 22,19 euros, liderando as quedas na praça nacional. Entre os pesos pesados, também a retalhista Jerónimo Martins (dona do Pingo Doce) recuou 1,91%, para 18,5 euros.

EDP cai mais de 2%

Do lado positivo, a Galp somou 1,24%, para 11,44 euros, e o BCP ganhou 1,09%, para 0,177 euros. A Mota-Engil também valorizou, na ordem dos 0,64%, para 1,26 euros, após ter anunciado um contrato de 580 milhões de euros para a construção, operação e manutenção de estradas no México.

Lisboa não foi a exceção nas quedas registadas na Europa, pois o índice de Madrid IBEX-35 também recuou cerca de 0,65%. Mas o ambiente nos mercados europeus acabou por ser globalmente positivo, com os analistas a falarem na continuação da recuperação do valor das ações após uma semana passada conturbada.

O índice de referência Stoxx 600 fechou o dia em alta de 0,36% e as praças importantes de Paris e Frankfurt avançaram 0,72% e 0,19%, respetivamente.

Do outro lado do Atlântico, depois do feriado desta segunda-feira, Wall Street regressou com os principais índices a escalarem mais de 2%, casos do S&P 500 e do tecnológico Nasdaq.

“As principais praças europeias encerraram na sua maioria em alta esta terça-feira, como os índices ibéricos a serem exceção, castigados pela queda no setor das utilities. O ambiente de forte recuperação que se vive em Wall Street acabou por sustentar o otimismo”, explicam os analistas da sala de mercados do BCP.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Grupo EDP pressiona bolsa de Lisboa. Europa avança e Wall Street brilha

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião