Mercedes antecipa escassez de semicondutores até 2023

Grupo automóvel alemão alega que precisa de uma década para transformar todas as fábricas de produção de carros a combustão em unidades de fabrico de veículos elétricos.

O grupo Mercedes-Benz antecipa que a escassez de semicondutores irá prolongar-se para todo o ano de 2023. O aviso foi deixado pelo presidente executivo do grupo automóvel alemão e contraria a confiança mostrada na véspera pelo líder do grupo Volkswagen sobre esta matéria.

Os semicondutores são um problema muito presente e vão continuar a ser um desafio para a indústria durante todo este ano e também no próximo ano“, referiu o líder da Mercedez-Bens, Ola Kaellenius, numa conferência da Reuters, a decorrer nesta quarta-feira.

Apesar da incerteza no mercado, o responsável garante que “não há quaisquer sinais de diminuição da procura” por automóveis.

Na terça-feira, o presidente executivo do grupo Volkswagen mostrou-se confiante em relação ao tema dos semicondutores. “Estamos a aumentar a nossa produção de carros, não só na Alemanha como em toda a China”, referiu Herbert Diess. O executivo assinalou ainda que os constrangimentos em componentes eletrónicos que persistiram nos últimos meses estão finalmente a aliviar.

O líder da Mercedes-Benz também assumiu que serão necessários dez anos para transformar todas as fábricas de produção de carros a combustão em linhas de montagem exclusivas para veículos totalmente elétricos.

Ola Kaellenius garantiu ainda que a fabricante alemã “vai ter um papel mais ativo” em toda a cadeia de valor para a produção de carros elétricos, incluindo as minas onde são extraídas matérias-primas para a produção de baterias, como o lítio.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Mercedes antecipa escassez de semicondutores até 2023

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião