Receios de recessão põem Wall Street a abrir em baixa

Principais índices dos Estados Unidos iniciam semana em terreno negativo por receio que bancos centrais tenham de tomar medidas mais agressivas para conter subida da inflação.

O vermelho marca a abertura da primeira sessão da semana das bolsas dos Estados Unidos. As principais praças do mercado norte-americano estão a negociar em terreno negativo nesta terça-feira por conta dos receios da atuação dos bancos centrais face à subida da taxa de inflação.

Pelas 14h45, hora de Lisboa, o índice S&P 500 descia 1,59%, para 3.764,33 pontos. O tecnológico Nasdaq recuava 1,69%, para 10.939, 71 pontos.

Os investidores temem que os bancos centrais a nível mundial tenham de tomar medidas mais agressivas para conter a forte subida da taxa de inflação.

Também a contribuir para a desvalorização dos mercados está o aviso da Agência Internacional de Energia. A entidade alertou que os elevados preços do gás natural e os receios quanto à procura podem condicionar o crescimento da economia nos próximos anos.

Na manhã desta quinta-feira, euro caiu para o valor mais baixo em duas décadas, negociando nos 1,03%, mínimo desde o final de 2002.

Mais divisas estão sob pressão: o iene japonês transaciona novamente em mínimos de quase 24 anos e a coroa norueguesa cede 1% pressionada pela greve dos trabalhadores das plataformas de gás e petróleo.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Receios de recessão põem Wall Street a abrir em baixa

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião