Preço dos combustíveis desce em maio, enquanto petróleo sobe

O preço médio de venda ao público do gasóleo e da gasolina em Portugal contrariam a tendência ascendente verificada no mercado internacional de petróleo e derivados durante o mês de maio.

Os preços de venda ao público (PVP) médio do gasóleo e da gasolina em Portugal, contrariaram o comportamento do barril de petróleo e seus derivados nos mercados internacionais, ao registarem, em maio, descidas de 4% e 1%, respetivamente, face ao mês anterior.

De acordo com o boletim de mercado de combustíveis e GPL divulgado, esta quarta-feira, pela Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE), o PVP da gasolina simples 95 passou de 2,020 euros por litro em abril, para 2 euros por litro em maio, enquanto o gasóleo desceu de 1,980 euros para 1,893 euros por litro.

Esta desvalorização no preço dos combustíveis não se verificou no mercado internacional, uma vez que, de acordo com os dados do regulador, em maio, o preço do gasóleo e da gasolina no mercado North West Europe (NWE, na sigla em inglês) aumentaram face a abril refletindo, também, o aumento do preço do barril de petróleo. O aumentou mais acentuado verificou-se na cotação da gasolina, que subiu 21,6%, seguindo-se o jet fuel (+7%), o gasóleo (+2,8%) e o GPL Auto (+0,4%).

Já as cotações dos gases de petróleo liquefeito (butano e propano), na Europa, aumentaram, em maio, 4,7% e 0,4%, tendo o butano negociado, em média, 13,48% acima do propano. O aumento também se verificou no preço spot do WTI e o barril do Brent que aumentaram, ambos, 7,4%, para um valor médio de 109,51 dólares e 13,05 dólares, respetivamente, isto quando comparado com o barril negociado em abril.

O motivo prende-se com o sexto pacote de sanções da União Europeia que visa avançar com um embargo a produtos derivados de petróleo com origem russa, com a exceção das importações através de parte do oleoduto de Druhzba com destino à Hungria, República Checa e Eslováquia. Até ao final deste ano, a ambição é cortar por completo as as importações de petróleo e derivados com origem russa.

Hipermercados continuam a ser mais baratos para abastecer

Tal como no mês anterior, a ERSE conclui que os hipermercados continuam a apresentar as ofertas mais competitivas, tanto para o gasóleo como para a gasolina simples 95.

Segundo o boletim, a gasolina esteve 1,2% abaixo dos operadores do segmento low cost e 5,7% inferiores aos dos postos de abastecimento que operam sob a insígnia de uma companhia petrolífera, representando uma diferença de 9,3 cêntimos por litro (cent/l). No gasóleo, os hipermercados apresentaram, em maio, preços médios de cerca de 8,9 cent/l abaixo do PVP médio nacional enquanto o preço da oferta low cost esteve 0,4% acima do preço dos hipermercados.

Quanto à localidade Bragança, Beja e Faro foram os distritos onde a gasolina e gasóleo estiveram mais caros. Em sentido contrário, Castelo Branco e Braga são os distritos que apresentam combustíveis rodoviários mais baratos em Portugal Continental.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Preço dos combustíveis desce em maio, enquanto petróleo sobe

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião