Grupo de recrutamento Egor alvo de ataque informático

“Intrusão externa ilegítima” visou ficheiros de candidatos na memória do site, tendo os hackers acedido a dados pessoais como o número de identificação, morada, contactos e dados de recursos humanos.

O site da Egor foi alvo de um ataque informático. A “intrusão externa ilegítima” aconteceu na passada sexta-feira, 22 de julho, por volta das 17h, informou o grupo de recursos humanos liderado por Afonso Carvalho num e-mail enviado à base de dados da empresa, a que o ECO teve acesso. A empresa confirma o ataque e garante que o número de ficheiros violados pelos hackers é “residual”.

O ataque ao grupo especializado em recrutamento e seleção, consultoria e coaching, formação, outsourcing e trabalho temporário “visou o acesso a ficheiros de candidatos na memória do site”, tendo os hackers tido acesso a vários dados pessoais dos candidatos: nome, número de identificação, morada, contactos e dados de recursos humanos.

“Foi identificada a natureza da intrusão, o modus operandi que o hacker utilizou e, de imediato, foram implementadas as medidas corretivas de cibersegurança adequadas para minimizar a exposição de dados, desde logo a interrupção do acesso ao site no imediato para parar o ataque, a análise do método utilizado para entrada e foram aplicadas medidas corretivas para impedir a sua repetição [através de] uma revisão do mecanismo de acessos”, relata.

Foi identificada a natureza da intrusão, o modus operandi que o hacker utilizou e, de imediato, foram implementadas as medidas corretivas de cibersegurança adequadas para minimizar a exposição de dados.

Egor

Fundada em 1986 por Amândio da Fonseca, atual chairman, a Egor diz ter notificado de imediato a Comissão Nacional de Proteção de Dados (CNPD). E agora com o site novamente disponível, está “com o apoio de especialistas em segurança informática a efetuar a constante monitorização das medidas aplicadas, de forma a garantir a inexistência de vulnerabilidades ou novas intrusões não permitidas no sistema”.

Nesta comunicação oficial em que pede desculpas aos candidatos e assegura que está “a fazer tudo o que está ao seu alcance para garantir que os danos sejam mitigados e, simultaneamente, evitar que não se repita no futuro”, a Egor acrescenta que vai ainda proceder às “diligências que se demonstrem necessárias junto das autoridades judiciais competentes”.

Tendo nós controlado a situação e reportado [o caso às autoridades], tudo o que não queremos é fazer publicidade dessa situação, uma vez que é isso que procura quem as faz.

Afonso Carvalho

CEO do grupo Egor

Em declarações ao ECO, Afonso Carvalho, presidente executivo da Egor confirmou o ataque informático no final da semana passada, reforçando que essa “situação foi logo detetada e bloqueada”. Por outro lado, garantiu que é “residual” o número de ficheiros dos candidatos que terão sido violados pelos hackers.

“Tendo nós controlado a situação e reportado [o caso às autoridades], tudo o que não queremos é fazer publicidade dessa situação, uma vez que é isso que procura quem as faz”, acrescentou o gestor, que é também presidente da Associação Portuguesa das Empresas do Setor Privado de Emprego e de Recursos Humanos (APESPE RH).

(Notícia atualizada às 16h20 com declarações do CEO da Egor)

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Grupo de recrutamento Egor alvo de ataque informático

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião