Lisboa contraria perdas na Europa, com BCP a disparar mais de 4%

  • Joana Abrantes Gomes
  • 5 Agosto 2022

Ao contrário das congéneres europeias, a praça de Lisboa encerrou a semana no "verde", com o BCP a destacar-se entre as restantes cotadas.

O principal índice da bolsa nacional encerrou a primeira semana de agosto em alta, contrariando a tendência negativa das restantes praças europeias. O Banco Comercial Português (BCP) esteve em destaque, ao disparar mais de 4%, enquanto a Jerónimo Martins, dona dos hipermercados Pingo Doce, impediu ganhos mais significativos.

Esta sexta-feira, o PSI ganhou 0,68%, para 6.076,90 pontos, com apenas três das 15 cotadas a ficarem abaixo da linha de água, uma inalterada (Corticeira Amorim) e as restantes 11 em terreno positivo.

O principal destaque da sessão foi o banco liderado por Miguel Maya, que valorizou 4,13%, para 14,89 cêntimos por título, logo seguido da Greenvolt e dos CTT, com ganhos de 2,14% e 1,48%, respetivamente.

A EDP Renováveis, que esta manhã chegou a registar um avanço acima de 3%, terminou a sessão com uma valorização de 1%, para 25,24 euros. A valorização da subsidiária do grupo EDP também se deve ao anúncio de que o Governo alemão pretende aumentar o espaço disponível para a colocação de turbinas eólicas, o que é visto como um incentivo à produção de energia através de fontes renováveis.

Do lado das perdas ficaram a Jerónimo Martins (-1,42%), a Navigator (-0,05%) e a REN (-0,18%). Em entrevista ao Jornal de Negócios esta sexta-feira, o responsável financeiro desta última assumiu que a gestora da rede elétrica terá de se adaptar às regras do mecanismo ibérico para limitar o preço do gás natural para produção de eletricidade.

Pela Europa, a tendência foi contrária à de Lisboa: o índice pan-europeu Stoxx 600 e o francês CAC 40 cederam 0,8%, o britânico FTSE 100 perdeu 0,2% e o espanhol IBEX 35 recuou 0,4%. Na praça de Frankfurt, as perdas foram de 0,7%.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Lisboa contraria perdas na Europa, com BCP a disparar mais de 4%

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião