Sindicato de Manutenção de Aeronaves “repudia e lamenta” recurso a fornecedores externos pela TAP

  • Lusa
  • 12 Agosto 2022

O sindicato vê também como uma "traição" o recurso a empresas externas para realizarem o trabalho de manutenção que podia estar a ser prestado dentro da companhia.

O Sindicato dos Técnicos de Manutenção de Aeronaves (Sitema) manifestou-se esta sexta-feira preocupado com “o rumo” da TAP, repudiando e lamentando “profundamente” a decisão da administração de recorrer a fornecedores externos onde trabalham técnicos despedidos pela operadora aérea.

Em comunicado, a estrutura sindical afirma-se preocupada “com o rumo que a TAP está a levar e repudia e lamenta profundamente” que a administração da companhia aérea portuguesa esteja a “recorrer a fornecedores externos, que em alguns casos empregam técnicos de manutenção de aeronaves (TMA) despedidos pela TAP, para assegurar serviços de manutenção que poderiam ser prestados dentro da companhia”.

O sindicato sublinha que, “no passado mês de julho, os 666 TMA [técnicos de manutenção de aeronaves] da TAP representados pelo Sitema aceitaram a proposta da companhia aérea para regressarem ao regime de horário full time [tempo inteiro], pondo fim à greve às horas extraordinárias que estava em curso”.

Por isso, os TMA, acrescenta, veem “como uma traição o recurso a empresas externas para realizarem o trabalho de manutenção que podia estar a ser prestado dentro da companhia, poupando centenas de milhares de euros à TAP, ao Estado e aos contribuintes”.

A estrutura sindical, presidida por Paulo Manso, manifesta-se preocupada “com o rumo geral que a companhia aérea está a levar, perdendo clientes externos, ao mesmo tempo que envia trabalho para o exterior, prejudicando ainda mais a imagem da TAP no setor da aviação”.

O Sitema aponta que, “com esta situação, a TAP acaba por perder de duas formas: perde receita importante com a recusa de trabalhos para terceiros e perde com o pagamento que faz às empresas onde contrata trabalho que antes realizava na TAP“.

Critica ainda a TAP por, apesar da contratação das empresas externas, continuar “a deixar sair para a concorrência técnicos qualificados e a manter TMA em processo de despedimento coletivo, quando está urgentemente a precisar deles”.

Apesar de não compreender “a razão de decisões contraditórias que só prejudicam a imagem da companhia e os seus trabalhadores”, o Sitema diz que continua “disponível para fazer parte da solução para que a TAP continue a ser considerada uma companhia de excelência, mas não deixará que o bom nome dos TMA seja posto em causa e tudo fará para que se reponham as condições de trabalho que lhes são devidas”.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Sindicato de Manutenção de Aeronaves “repudia e lamenta” recurso a fornecedores externos pela TAP

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião