Empresário de Moçambique paga 42 milhões por hotel de luxo em Lisboa

Carlos Camurdine, um dos maiores empresários de Moçambique, é o novo dono do The Fontecruz Lisboa Hotel. Negócio foi fechado com cadeia espanhola.

O mercado hoteleiro nacional continua a mexer e a atrair cada vez mais interesse estrangeiro. A cadeia espanhola Fontecruz Hotels vendeu o The Fontecruz Lisboa Hotel, na Avenida da Liberdade, por 42 milhões de euros, sabe o ECO. O negócio foi fechado no final de junho e o comprador é Carlos Camurdine, um dos maiores empresários de Moçambique, dono da loja de vinhos Socimpex.

É no número 138 de uma das mais caras avenidas da capital que está esta unidade de cinco estrelas, inaugurada em 2012, naquela que foi a estreia internacional da cadeia Fontecruz Hotels, com sede em Toledo. O hotel conta com 72 quartos, um jardim interior, um clube de fitness e um restaurante.

The Fontecruz Lisboa Hotel, na Avenida da Liberdade.Facebook

O ECO apurou junto de fontes do mercado imobiliário que o Fontecruz Lisboa foi vendido em junho por cerca de 42 milhões de euros. O comprador trata-se de Carlos Camurdine, um dos maiores empresários de Moçambique, dono da loja de vinhos Socimpex.

Esta compra já trouxe mudanças à sociedade que detém o hotel, a Hotel Project Lisboa. Em junho, os espanhóis Julio Ortega Zurdo, Diego Ortega Martin (CEO) e Julio Hugo Martin Ortega renunciaram aos cargos que tinham no Conselho de Administração, passando este a contar com Carlos Camurdine como presidente e Yasmin Camrudim (sócia na Socimpex) como vogal, de acordo com informação publicada no Portal da Justiça.

O ECO sabe ainda que o hotel mudará de nome em breve e que os novos donos têm em cima da mesa um novo projeto para aquele hotel. O ECO contactou a Fontecruz Hotels para perceber os motivos para esta operação, mas até ao momento de publicação deste artigo não obteve resposta.

Carlos Camurdine, com 63 anos, é um dos empresários mais influentes de Moçambique, de acordo com a imprensa daquele país, e esteve debaixo dos holofotes da comunicação social em 2019, quando foi raptado. A 3 de abril daquele ano, o sócio da Socimpex foi raptado por três homens armados à saída do seu estabelecimento, no centro de Maputo. Acabou libertado cerca de dois meses depois, após o pagamento de um resgate.

A Fontecruz Hotels nasceu em 2004 em Espanha e conta hoje com hotéis em Sevilha, Granada, Toledo, Ávila e Lisboa. Está atualmente a ser “avaliada a viabilidade de projetos em destinos como Madrid, Londres, Paris, Budapeste e Bruxelas“, lê-se no site da cadeia.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Empresário de Moçambique paga 42 milhões por hotel de luxo em Lisboa

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião