Entre os 62 milhões de milionários em todo mundo, 159 mil são portugueses

Aumentou o número de pessoas com património avaliado acima de um milhão em 2021 em todo o mundo: são mais 62 milhões, dos quais 159 mil são portugueses.

mais milionários em todo o mundo e menos em Portugal. Cerca de 159 mil portugueses tinham um património avaliado acima de um milhão de dólares no final do ano passado, integrando o restrito clube de 62 milhões de milionários em todo o mundo, de acordo com o Global Wealth Report 2022 do Credit Suisse divulgado esta terça-feira.

Em comparação com 2020, o número de portugueses milionários caiu em cerca de 10 mil, traduzindo-se num decréscimo de cerca de 6% num ano – contra o crescimento de 9% registado a nível mundial.

De acordo com o relatório do banco de investimento suíço, cada um dos mais de 8,3 milhões de adultos portugueses tinham em média uma riqueza avaliada acima dos 154 mil dólares (154 mil euros), o que representa um aumento de 8% em relação ao ano anterior e acima da média mundial de 87,5 mil dólares. No início da década, a riqueza média de um português era de 52,4 mil dólares.

A grande maioria dos portugueses adultos apresenta uma riqueza avaliada entre dez mil dólares e 100 mil dólares (43,8%) e entre 100 mil de dólares e um milhão de dólares (31,3%).

O estudo do Credit Suisse mostra que baixou o número de pessoas na base inferior da pirâmide de riqueza (com património até 100 mil dólares), aumentando na parte superior (com património acima dos 100 mil dólares).

Riqueza global atinge recorde

A riqueza global das famílias atingiu um valor recorde de 463,6 biliões de dólares no final do ano passado, quase mais 10% em relação a 2020 e “muito acima da média de 6,6% registada desde o início do século”, adianta ainda o banco suíço, que justifica esta tendência com a subida do valor dos ativos financeiros e não financeiros.

Ainda assim, se tivermos em conta o impacto da inflação, cujas pressões começaram a intensificar-se na parte final do ano passado, o crescimento da riqueza em termos reais foi de 8,2%.

Nem todos os países “engordaram” a lista de milionários. O Credit Suisse sublinha que isso não foi uma tendência comum e que as perdas de riqueza estão essencialmente “associadas à desvalorização da moeda em relação ao dólar americano, afetando, por exemplo, Japão, Itália e Turquia”, aponta o Credit Suisse. Portugal, Espanha, Alemanha e os vários países da Zona Euro também têm menos milionários.

Abrandamento não trava milionários

Por outro lado, com vários países a enfrentarem um crescimento mais lento ou até uma recessão, é provável que se assista a “alguma reversão de ganhos” este ano e no próximo. Contudo, o banco suíço continua a perspetivar um aumento da riqueza nos próximos cinco anos.

“Esperamos que a riqueza global aumente em 169 biliões até 2026, um aumento acumulado de 36%”, aponta os analistas do Credit Suisse, prevendo que a riqueza média por adulto supere a fasquia dos 100 mil dólares até 2024 e que o número de milionários ultrapasse os 87 milhões nos próximos cinco anos.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Entre os 62 milhões de milionários em todo mundo, 159 mil são portugueses

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião