Paranoia da produtividade? Três medidas que os líderes devem adotar para navegar no trabalho híbrido

Com o trabalho híbrido, é necessária uma nova abordagem que reconheça que o trabalho já não é apenas um lugar, mas uma experiência que precisa de transcender o tempo e o espaço.

Alguns dados evidenciam que o trabalho híbrido tem criado uma desconexão crescente entre colaboradores e líderes. Para colmatar esta lacuna, é necessária uma nova abordagem que reconheça que o trabalho já não é apenas um lugar, mas uma experiência que precisa de transcender o tempo e o espaço, permitindo aos colaboradores permanecer empenhados e conectados, independentemente do local em que estejam, conclui o estudo “Work Trend Index Pulse Report – Hybrid Work Is Just Work. Are We Doing It Wrong?”, elaborado pela Microsoft. Para começar? Acabar com a paranoia da produtividade.

“Os dados reforçam que precisamos urgentemente de uma nova abordagem para o envolvimento dos colaboradores, que agregue a força de trabalho digitalmente conectada e distribuída, realinhe os colaboradores às necessidades de negócio e os reintegre na cultura e missão das organizações. Os líderes devem concentrar-se no impacto dos seus colaboradores, esclarecendo que componentes do trabalho realmente importam e ouvir suas necessidades individuais“, afirma Paula Fernandes, diretora de colaboração e produtividade na Microsoft Portugal, em comunicado.

Para ajudar os líderes a navegar as novas realidades do trabalho, o relatório “Work Trend Index Pulse” revela três medidas urgentes que os líderes devem adotar:

1. Acabar com a paranoia da produtividade

Quase 90% dos colaboradores afirmam ser produtivos no trabalho, mas 85% dos líderes dizem que a mudança para o trabalho híbrido criou um desafio acrescido de confiança. “Os líderes precisam de promover a clareza e alinhamento em torno dos objetivos da empresa, eliminar tempo improdutivo — que não apoia esses objetivos — e ouvir os seus colaboradores”, revela a tecnológica.

No entanto, 57% das empresas raramente, se é que alguma vez, recolhem o feedback dos colaboradores.

2. Aceitar que as pessoas vão ao escritório umas pelas outras

Mais de 70% dos colaboradores admitem que precisam de uma razão melhor para ir ao escritório do que as expectativas da empresa. Contudo, estariam motivados a ir ao local de trabalho se pudessem socializar com os colegas de trabalho (84%) ou reconstruir laços de equipa (85%).

“A comunicação digital é, apesar disso, crucial para manter as pessoas conectadas dentro e fora do escritório – tanto os colaboradores como os líderes classificam a comunicação como a competência mais crítica necessária para serem bem-sucedidos nas suas funções este ano.”

3. “Re-recrutar” os colaboradores

Mais de metade (55%) dos colaboradores refere que a melhor forma de desenvolver as suas competências é mudando de empresa. Contudo, admite também que ficaria mais tempo na sua organização se fosse mais fácil mudar de funções internamente (68%) ou se pudessem beneficiar mais da aprendizagem e do apoio ao desenvolvimento (76%).

O estudo “Work Trend Index Pulse Report – Hybrid Work Is Just Work. Are We Doing It Wrong?” reuniu os dados de entrevistas a mais de 20 mil pessoas, em 11 países, numa análise de triliões de sinais de produtividade do Microsoft 365 e LinkedIn.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Paranoia da produtividade? Três medidas que os líderes devem adotar para navegar no trabalho híbrido

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião