“Os miúdos podem começar a fazer trabalhos de casa com o ChatGPT”premium

Daniela Braga, fundadora da Defined.ai, empresa que fornece dados para treinar modelos de inteligência artificial, avalia os últimos desenvolvimentos na área, principalmente o ChatGPT.

A fundadora da Defined.ai admite preocupação com alguns usos que se tem dado ao ChatGPT, o modelo de linguagem da OpenAI que alcançou 100 milhões de utilizadores em apenas dois meses, e adverte para implicações relevantes em setores como o do ensino. Em simultâneo, alerta para o "monopólio do setor privado" nestes modelos ,que exigem recursos que não estão ao alcance da maioria das empresas. "Isso é que é democraticamente perigoso para a inovação", sublinha.Daniela Braga critica ainda a forma como estes algoritmos são treinados com dados disponíveis na internet, potencialmente sujeitos a enviesamentos e deixando de fora faixas importantes da população. Sobre o futuro da empresa que lidera, diz não ter desistido de uma entrada em bolsa, mas mantém a porta aberta a uma fusão com outra

Assine para ler este artigo

Aceda às notícias premium do ECO. Torne-se assinante.
A partir de
5€
Veja todos os planos