“Portugal já não faz reformas há algum tempo”premium

Depois de apresentar previsões económicas para o G20, Álvaro Santos Pereira, economista chefe da OCDE, pede prudência orçamental, mas diz acreditar que tal não impede que se façam reformas no país.

A OCDE atualizou as previsões económicas para os países do G20. Os indicadores apontam para uma estagnação global, ou mesmo recessão em economias como a alemã, um mau presságio para Portugal, no contexto da guerra, da inflação e da subida das taxas de juro pelos principais bancos centrais. Em entrevista ao ECO, Álvaro Santos Pereira, economista chefe da OCDE considera que bens e serviços mais caros são o preço a pagar pela guerra e alerta para um "grande abrandamento económico ao mesmo tempo que se verifica um aumento de preços bastante pronunciado", embora não recorra, pelo menos diretamente, à palavra "estagflação". O economista chefe da OCDE comenta também que os governos vão ter de adotar uma atitude de prudência orçamental, perante a subida muito acentuada dos juros, mas acredita

Assine para ler este artigo

Aceda às notícias premium do ECO. Torne-se assinante.
A partir de
5€
Veja todos os planos