Ricardo Azevedo: O que faz os seguros de Responsabilidade Civil estarem a ganhar adeptos

O diretor Técnico da Innovarisk explica a tendência crescente dos seguros de responsabilidade civil quer em riscos cobertos como em montantes contratados. Empresas e mediação estão alerta.

Os seguros de Responsabilidade Civil (RC) estão a mover o mercado português. Em 2019 já arrecadou 143 milhões de euros em prémios, mais 9% que no ano anterior, e moveu 21 seguradoras a operar em Portugal.

Uma das companhias em destaque no setor é a Innovarisk que representa a Hiscox, seguradora muito dinâmica no mercado de Londres e muito conhecida pelas sua liberdade em aceitar riscos pouco habituais, e também a Lloyd’s of London enquanto coverholder.

Ricardo Azevedo, diretor técnico da Innovarisk, está particularmente à vontade no ramo da Responsabilidade Civil e concedeu uma entrevista a ECOseguros. Falou-se da dinâmica do setor, o papel dos seguradores e de como cada vez mais empresas incluem RC na sua carteira de seguros. Também o interesse de mediadores e corretores aumenta.

A Covid-19 e os seus efeitos no tempo, principalmente na ameaça existente sobre diretores e administradores de empresas e de que forma podem a ser responsabilizados por decisões tomadas em plena crise pandémica, é tema obrigatório e tratado de forma esclarecedora.

Por último, Ricardo Azevedo dá um exemplo de como as soluções seguradoras, também em responsabilidade civil, tendem a ser cada vez mais criativas para responderem a riscos cada vez mais especializados.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Ricardo Azevedo: O que faz os seguros de Responsabilidade Civil estarem a ganhar adeptos

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião