“Zona Franca da Madeira não é um offshore. Cumpre todas as regras de transparência”premium

Roy Garibaldi, presidente da sociedade pública que gere a Zona Franca da Madeira, quer começar já a trabalhar nas negociações com Bruxelas para ter um quinto regime fiscal favorável a partir de 2027.

O presidente da Sociedade de Desenvolvimento da Madeira (SDM), Roy Garibaldi, afirma em entrevista ao ECO que é necessário começar já a preparar a negociação do quinto regime da zona franca. E defende que " determinadas atividades, com um alto valor acrescentado para a economia regional em termos de modernização e de mais-valia para a Região, empresas ligadas ao setor das novas tecnologias, à transição verde, empresas altamente inovadoras e que contribuam fortemente para tudo o que seja investigação e desenvolvimento" beneficiem de uma taxa de IRC mais baixa do que aquele que já é consagrada. E garante: " A zona franca não é um offshore, na medida em que cumpre todos os critérios internacionalmente estabelecidos, por exemplo, ao nível da transparência das operações". A Sociedade de

Assine para ler este artigo

Aceda às notícias premium do ECO. Torne-se assinante.
A partir de
5€
Veja todos os planos