Moldes portugueses diversificam no automóvel, medicina e aeronáuticapremium

Terceiro maior fabricante europeu de moldes aposta na diversificação de aplicações e clientes para retomar crescimento em 2022. Acompanhe a rubrica do ECO que está a "sentir o pulso" a vários setores.

Como evoluem a capacidade produtiva, o emprego, as vendas ou as finanças das empresas? Como está a recuperar o setor do impacto da pandemia e quais os maiores desafios que enfrenta neste novo ciclo? Aproveitando o dobrar do ano no calendário, o ECO está a “medir o pulso à economia real”, analisando o passado recente, diagnosticando a situação presente e antecipando as perspetivas futuras em algumas das principais áreas de atividade da economia portuguesa.Depois de um período dourado entre 2010 e 2018, em que as exportações duplicaram, as empresas fizeram investimentos fortes em tecnologia e competências avançadas e em que foram criados mais de 3 mil postos de trabalhoem termos líquidos, o que permitiu alargar as cadeias de valor, estabelecer parcerias e conquistar novos mercados. Mas

Assine para ler este artigo

Aceda às notícias premium do ECO. Torne-se assinante.
A partir de
5€
Veja todos os planos