A Alemanha e os FSRUs. Querer é poder, e quando se tem dinheiro é mais fácilpremium

Tendo a transição energética uma urgência que já poucos questionam, a pergunta que se coloca é porque motivo as coisas não acontecem mais depressa.

Até há um ano pouco se tinha ouvido falar de FSRUs (“ Floating Storage a Regasification Units”). Hoje simbolizam a independência energética da Alemanha. Tornaram-se um testemunho da capacidade de execução da Alemanha e um motivo de orgulho para o País. Que o que o fez esquecer desaires como o da construção do Aeroporto de Berlim. A Alemanha tinha uma enorme dependência do gás natural que importava da Rússia. Quando a invasão da Ucrânia ocorreu, ficou numa situação que parecia dramática. Para nos apercebermos da dimensão do problema, a Alemanha importava da Rússia 75 bcm de gás natural por ano, 55 dos quais através do gasoduto Nord Stream 1. 1 bcm (“billion cubic meters”) são aproximadamente 10 TWh. Uma unidade enorme. Para referência, Portugal consome 50 TWh de eletricidade por ano. Para

Assine para ler este artigo

Aceda às notícias premium do ECO. Torne-se assinante.
A partir de
5€
Veja todos os planos