Beyond 2017: TMT – o fator crítico de sucesso

  • Rui Henriques
  • 14 Novembro 2017

Rui Henriques, partner da EY, faz o balanço da conferência sobre tecnologia, telecomunicações e media, inserido na iniciativa Beyond 2017 sobre transformação digital nos vários setores da economia.

As fronteiras entre a tecnologia, os media e as telecomunicações estão a desaparecer face à disrupção digital e a convergência de forças verifica-se a um ritmo alucinante através da fusão de conhecimento e competências.

A concorrência é cada vez maior, as expectativas da sociedade estão a evoluir em novas direções e as empresas do setor de Tecnologia, Media e Telecomunicações (TMT) enfrentam um leque alargado de oportunidades e desafios neste ambiente cada vez mais digital.

Para as empresas de media e entretenimento, o movimento digital está a transformar todas as facetas do seu negócio. A a ampla disponibilidade de banda larga e a popularidade dos smartphones e tablets mudaram a procura e expectativas de audiências de media e criou uma surpreendente variedade de novos produtos e serviços digitais. Talvez em nenhum setor a transformação é tão visível como no crescimento dos conteúdos que são acessíveis através de serviços digitais. O desafio é ter a capacidade de adaptação de novos conteúdos, a novas plataformas.

No setor de telecomunicações, a disrupção está para ficar. Todos os operadores veem a chegada do 5G com muito otimismo, mas apenas uma abordagem holística para a revisão organizacional permitirá que as telcos floresçam num ambiente cada vez mais dinâmico. A responsabilidade é enorme: assegurar um desenvolvimento exponencial para garantir que organizações se podem adaptar e florescer na era digital. E os novos modelos de negócios têm que ir ao encontro das expectativas da sociedade para assegurar crescente conectividade num ambiente em que existe um claro trade-off entre os benefícios da experiencia digital e a crescente concessão de acesso a dados, e em que o papel da cibersegurança é cada vez mais crítico para assegurar um ecossistema digital seguro.

E a tecnologia é o epicentro de toda esta dinâmica. O blockchain é sem dúvida uma das dimensões tecnológicas mais fascinantes e com maior impacto neste movimento de digitalização. Mas outras forças como a aplicação de robótica, de inteligência artificial ou a criação de processadores quânticos, que são capazes de chegar a velocidades bem próximas às da luz na análise de informação ou cálculo, permitem antecipar otimizar processos, e desenvolver análises e descobertas com aplicações diversas na sociedade que demorariam centenas ou milhares de anos a acontecer.

É um movimento absolutamente vertiginoso, em que é impossível antecipar as mais diversas formas de materialização, e que numa perspetiva positivista permite uma evolução da humanidade nunca testemunhada.

Em suma, a convergência de todas as forças geradas no setor TMT está e irá continuar a beneficiar decisivamente todos os demais setores de atividade, desde o financeiro, o energético, à saúde, sendo sem qualquer sombra de dúvida o setor convergente de todos os demais.

(Rui Henriques é partner da EY, TMT Tax Leader)

  • Rui Henriques

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Beyond 2017: TMT – o fator crítico de sucesso

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião