Editorial

Os Pandora Papers e a democracia liberalpremium

Os Pandora Papers são mais um escândalo, mesmo à medida dos populistas e radicais que querem aumentar a intervenção do Estado na economia.

O Consórcio Internacional de Jornalistas de Investigação (ICIJ) revelou mais um dossiê explosivo. Depois dos Panama Papers, os Pandora Papers. O consórcio revela um conjunto de 11,9 milhões de ficheiros confidenciais sobre offshore (e onshore) ligadas a 35 atuais e antigos líderes políticos, com Presidentes e primeiros-ministros, e funcionários públicos em mais de 90 países. Este é um escândalo que vale por si mesmo -- não há outra forma de o dizer --, mas tem outra consequência nefasta: É um terreno fértil para partidos como o PCP e o Bloco de Esquerda atacarem a democracia liberal, atacarem a competitividade fiscal e imporem uma agenda de intervenção do Estado na economia. Os dados dos Pandora Papers são chocantes a vários níveis. Na maior parte dos casos, a utilização de offshores ou

Assine para ler este artigo

Aceda às notícias premium do ECO. Torne-se assinante.
A partir de
5€
Veja todos os planos