Tecidos reciclados, amigos do ambiente e tingidos com desperdícios alimentares. Têxtil português atrai os alemãespremium

Para além da inovação, a sustentabilidade teve um papel de destaque na Munich Fabric Start que contou com 31 empresas portuguesas. As expectativas foram superadas e o sentimento é de missão cumprida.

Nem a pandemia da Covid-19 impediu a Munich Fabric Start de arrancar esta semana na cidade alemã de Munique. As empresas portuguesas do têxtil e vestuário marcaram presença em força nesta feira que marca o regresso do setor às feiras presenciais.O balanço foi "bastante positivo" e superou as expectativas. É caso para dizer que o clusterestá a dar cartas no mercado alemão. Da confeção aos tecidos, 31 empresas portuguesas marcaram presença nesta feira para mostrar o que de melhor se faz em Portugal e para ditar as tendências da próxima coleção. A sustentabilidade foi a palavra de ordem naquela que é considerada a principal feira de confeção e tecidos do mercado alemão e uma das principais da Europa. Tecidos reciclados, produção sustentável, processos amigos do ambiente e peças de roupa

Assine para ler este artigo

Aceda às notícias premium do ECO. Torne-se assinante.
A partir de
5€
Veja todos os planos