Deutsche Bank afunda em bolsa, Merkel descarta resgate

Mercado antecipa um aumento de capital agressivo para o Deutsche Bank e ações derrapam para mínimos históricos.

As ações do Deutsche Bank afundavam esta segunda-feira para um novo mínimo histórico perante os receios de que o banco alemão vai ter de realizar um expressivo aumento de capital para fazer face a todas as despesas legais, incluindo a multimilionária multa que os EUA querem aplicar.

Evolução das ações do Deutsche Bank este ano

Os papéis do banco caíram 6,3% para os 10,70 euros em Frankfurt, o preço mais baixo de sempre, sendo o banco com pior desempenho na Europa. Por esta altura, o Deutsche Bank apresenta uma capitalização bolsista de 14,7 mil milhões de euros, apenas dois mil milhões a mais do que a multa que as autoridades norte-americanas pretendem que os alemães paguem.

Desde o início do mês que o Departamento de Justiça dos EUA está a exigir ao Deutsche Bank o pagamento de uma multa de 12,5 mil milhões de euros (14 mil milhões de dólares) para encerrar um processo que liga o banco ao escândalo da venda de créditos imobiliários de baixa qualidade que conduziu à crise do subprime, em 2008, naquela que pode ser a multa mais elevada de sempre a ser exigida nos EUA a um banco estrangeiro. Do lado do banco alemão apenas foram provisionados 5,5 mil milhões de euros para cobrir custos judiciais.

“É claro que as notícias em torno do Departamento de Justiça dos EUA e daqueles 12,5 mil milhões continuam a condicionar a ação. Ninguém acredita que o Deutsche Bank vai pagar este montante, mas para alguns investidores é preocupante o facto de mesmo ao nível do governo alemão a situação do banco estar a ser discutida”, referiu Daniel Regli, analista da Main First, à Bloomberg.

Apesar da incerteza quanto ao futuro do Deutsche Bank, a chanceler alemã já veio descartar qualquer ajuda financeira com recurso a dinheiro público, adiantaram fontes oficiais à revista Focus. Além disso, com eleições agendadas para setembro de 2017, Angela Merkel recusa envolver-se no imbróglio legal entre o banco e as autoridades norte-americanas.

"É claro que as notícias em torno do Departamento de Justiça dos EUA e daqueles 12,5 mil milhões continuam a condicionar a ação. Ninguém acredita que o Deutsche Bank vai pagar este montante, mas para alguns investidores é preocupante o facto de mesmo ao nível do governo alemão a situação do banco estar a ser discutida.”

Daniel Regli, analista da Main First

Bloomberg

Segundo as contas do JP Morgan Chase, uma multa entre 2,7 mil milhões de euros (3 mil milhões de dólares) e 3,1 mil milhões de euros (3,5 mil milhões de dólares) deixaria margem de manobra para o Deutsche Bank conseguir fazer face a outros compromissos legais e que cada 900 milhões de euros (mil milhões de dólares) de despesas legais adicionais iriam fazer desaparecer 24 pontos base em capital.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Deutsche Bank afunda em bolsa, Merkel descarta resgate

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião