Galp pode valorizar após acordo OPEP, diz Haitong

  • Rita Atalaia
  • 29 Setembro 2016

A petrolífera portuguesa pode beneficiar do acordo alcançado entre os membros da OPEP. Mas a maior vulnerabilidade da Galp Energia aos preços do petróleo pode vir a penalizar a empresa, diz o Haitong.

A Galp Energia GALP 0,00% pode valorizar depois de a Organização dos Países Exportadores de Petróleo ter chegado a acordo para cortar a produção de petróleo. No entanto, o Haitong diz que a petrolífera portuguesa é mais vulnerável à variação dos preços do petróleo devido à sua exposição ao Brasil, continuando a preferir a rival Repsol.

A decisão da OPEP “é positiva para petrolíferas como a Galp Energia e a Repsol, mas notamos que o acordo não é garantido, uma vez que a definição dos cortes por país tem sido o principal problema nos esforços anteriores para reduzir a produção”, diz o Haitong numa nota de research.

O setor energético europeu disparou depois da decisão e “prevemos um desempenho forte da Galp e da Repsol“, afirma o banco. No entanto, esclarece que continua a preferir a Repsol em termos do valor da ação.

“A Galp Energia é mais vulnerável aos preços do petróleo devido à sua exposição ao Brasil, enquanto a Repsol ainda beneficia da elevada alavancagem financeira para aumentar o impacto da subida do preço no lucro”, diz o Haitong.

Na reunião da OPEP que decorreu esta quarta-feira na Argélia, o cartel acordou em reduzir o nível de produção dos 33,2 millhões de barris dia verificado, em agosto, para um intervalo entre 32,5 milhões e 33 milhões de barris por dia, segundo avançou o ministro do petróleo do Irão, Namdar Zangneh, após o fim do encontro.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Galp pode valorizar após acordo OPEP, diz Haitong

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião