Economia americana contratou 2,3 milhões da classe média

A classe média foi quem mais beneficiou nos últimos dois anos. A evolução positiva da economia norte-americana absorveu 2,3 milhões de pessoas a ganharem o salário médio.

Em dois anos, a economia norte-americana criou 2,3 milhões de empregos de salário médio. Quem o diz é uma análise da Reserva Federal de Nova Iorque, citada pela Bloomberg. A criação de emprego que aconteceu entre 2013 e 2015 permitiu que a taxa fosse inferior a 5% em junho.

A análise da Fed nova-iorquina é que o número de empregos criados foi maioritariamente feita com salários médios. Tanto os setores que pagam mais do que a média e os que pagam menos tiveram uma evolução mais fraca.

Este termo de salário médio na economia norte-americana traduz-se numa remuneração anual vai de 30 a 60 mil dólares. De acordo com o estudo, este tipo de contratos foram responsáveis por 43% do crescimento do emprego entre 2013 e 2015. Três anos antes, apenas 22% dos postos de trabalho criados tinham sido nestas condições.

Os setores da construção, educação e transportes foram os que mais contrataram, de acordo com a Reserva Federal de Nova Iorque. A lista completa-se com o setor administrativo, serviços sociais, artes e entretenimento.

Na faixa de salários inferiores a 30 mil dólares anuais foram criados mais 1,5 milhões postos de trabalho entre 2013 e 2015.

Editado por Mariana de Araújo Barbosa.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Economia americana contratou 2,3 milhões da classe média

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião