União da Janus e Henderson cria gigante de 285 mil milhões

O crescimento dos ativos sob gestão e dos lucros são as razões apontadas pelas duas gestoras de ativos para justificar a fusão das duas empresas.

O mercado foi surpreendido esta segunda-feira pelo anúncio do casamento entre o grupo britânico Henderson e a norte-americana Janus Capital. A fusão entre as duas empresas irá cria um gigante do setor de gestão de ativos de 285 mil milhões de euros (320 mil milhões de dólares), numa operação que visa fazer crescer os montantes de ativos geridos bem como os lucros. O acordo visa alcançar poupanças em custos anuais na ordem dos 110 milhões de dólares.

Esta fusão dará origem à Janus Henderson Global Investors, com um valor de mercado conjunto de cerca de cerca de 5,3 mil milhões de euros (cerca de 6 mil milhões de dólares), de acordo com uma declaração conjunta das duas empresas financeiras divulgada esta segunda-feira. No mesmo comunicado é anunciada ainda a intenção da seguradora japonesa em reforçar para, pelo menos 15%, a sua posição na empresa resultante da fusão.

As ações da britânica Henderson reagem esta manhã em forte alta ao anúncio deste negócio. O título segue a valorizar 15,43%, depois de ter chegado a disparar 20,2%, o que corresponde ao maior ganho desde janeiro de 2009.

Para este negócio está previsto que os investidores da Janus – a nova casa de Bill Gross – recebam 4.719 ações da nova empresa, por cada título que detenham da Janus. Já os investidores irão deter 57% do capital da nova companhia, com 43% da participação a ficar nas mãos dos acionistas da Janus, segundo refere o comunicado divulgado hoje.

"Esta é uma oportunidade para partilhar os benefícios do negócio global.”

Keith Baird

Analista da Cantor Fitzgerald Europe

De salientar que desde que Richard Weil assumiu o cargo de presidente executivo do Janus Capital, em 2010, a gestora de ativos norte-americana tem diversificado a sua atividade internacional, em especial na Ásia. Em 2014, Weil foi buscar o investidor Bill Gross à Pacific Investment Management, para gerir o Global Unconstrained Bond Fund, fundo que tem atualmente 1,4 mil milhões de ativos sob gestão.

“Esta é uma combinação transformacional para ambas as empresas”, afirmou Richard Weil no comunicado hoje divulgado. “A Janus traz uma grande plataforma nos mercados norte-americanos e japoneses que é complementada pela força da Henderson no Reino Unido e nos mercados europeus”, acrescentou.

Está previsto que o negócio entre as duas gestoras de ativos seja fechado no segundo trimestre de 2017. O negócio combinado terá residência fiscal no reino Unido e terá a sua estreia na bolsa de Nova Iorque.

 

 

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

União da Janus e Henderson cria gigante de 285 mil milhões

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião