5 coisas que tem de saber antes de abrirem os mercados

INE revela desempenho das exportações nacionais depois da queda observada em junho. No plano internacional, mercados centram atenção à evolução da libra após mini-crash da última sexta-feira.

São estes os principais temas que deverão marcar a atualidade nos mercados financeiros ao longo desta segunda-feira: exportações nacionais, ajuda financeira à Grécia, confiança na Zona Euro, expectativas quanto à evolução da economia mundial e desempenho da libra pós-mini crash. O que esperar?

Exportações a desacelerar?

Em julho, as exportações portuguesas caíram 4,6% face ao mesmo mês do ano passado. O INE atualiza esta segunda-feira os números do comércio internacional relativos a agosto. Do lado das importações, a quebra foi de 7,2%, um recorde nos últimos 18 meses.

Grécia volta a estar em foco

Hoje os ministros das Finanças da Zona Euro reúnem-se no Luxemburgo, onde deverá ser aprovada a próxima tranche do terceiro pacote de ajuda financeira à Grécia. Em causa estarão 2,8 mil milhões de euros. Entretanto, as autoridades helénicas têm avançado com várias medidas legislativas que possam permitir desbloquear essa quantia.

Como vai a confiança na Europa?

O Sentix, que tem como objetivo medir a confiança dos investidores na atividade económica na Zona Euro, deverá registar uma ligeira melhoria em outubro, segundo uma projeção da Bloomberg. A leitura deste mês deverá situar-se nos 6 pontos, acima do valor de 5,6 observado em setembro.

Atividade económica vai melhorar?

Num dia com poucos indicadores relevantes no plano internacional, também esta manhã a OCDE divulga os seus indicadores compósitos avançados, dados que permitem antecipar pontos de viragem na atividade económica com uma antecipação de seis a nove meses.

Libra ao fundo

A divisa britânica causou sensação nos mercados no final da última semana. Uma ordem mal digitada provocou um mini-crash da libra face ao dólar – atingiu o valor mais baixo dos últimos 31 anos. Mercado já aponta a uma paridade entre as duas moedas, com a libra a ser prejudicada pelas expectativas de uma transição complicada do Reino Unido pós-Brexit e por um Banco de Inglaterra mais expansionista face à Fed.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

5 coisas que tem de saber antes de abrirem os mercados

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião