Uniplaces expande negócio e abre escritório em Itália e na Alemanha

Startup portuguesa de alojamento universitário prossegue internacionalização e abre escritórios em dois novos países europeus.

A startup portuguesa Uniplaces, uma plataforma de alojamento universitário, acaba de abrir dois novos escritórios, em Milão, Itália e em Berlim, na Alemanha. As duas novas aberturas vão implicar a alocação de 11 colaboradores nas localizações.

Depois de um crescimento de 400% durante o verão, face ao período homólogo de 2015, a Uniplaces quer reforçar a presença nos dois países, com o aumento das equipas locais disponíveis para prestar mais apoio aos senhorios parceiros da empresa.

Desde o início do ano, foram passadas mais de 1,73 milhões de noites em quartos ou casas arrendadas pela plataforma portuguesa, que já conta com uma rede de mais de 40 mil quartos em 36 cidades de seis países diferentes: Portugal (Lisboa, Porto e Coimbra), Reino Unido (Londres), Espanha (Madrid, Barcelona, Valência, Granada, Sevilha, Salamanca, Málaga, Alicante, Murcia), Itália (Bolonha, Roma, Milão, Florença, Pádua e Turim), Alemanha (Berlim, Hamburg e Munique) e França (Paris).

“Estamos a crescer e a tornar-nos numa plataforma verdadeiramente global mas para conseguirmos fazê-lo de forma sustentada, precisamos também de ser “locais” e estar fisicamente nos países que têm maior relevância para o nosso negócio. A abertura dos escritórios em Itália e na Alemanha surge nesse sentido e pelas perspetivas de crescimento que esses países apresentam para a Uniplaces a médio prazo”, explica Miguel Santo Amaro, co-fundador da Uniplaces.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Uniplaces expande negócio e abre escritório em Itália e na Alemanha

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião