Conselho de Ministros dá luz verde à proposta de Orçamento do Estado 2017

  • Lusa
  • 13 Outubro 2016

Após dez horas de reunião, o Conselho de Ministros aprovou a proposta de Orçamento do Estado para o próximo ano.

O Conselho de Ministros aprovou a proposta de Orçamento do Estado para 2017 após 10 horas de reunião, documento que sexta-feira será entregue na Assembleia da República, disse à agência Lusa fonte do Governo. A reunião do Conselho de Ministros teve início às 10h.

A proposta do Governo de Orçamento do Estado para 2017 será apresentada publicamente na sexta-feira, pelo ministro das Finanças, Mário Centeno, após a sua entrega formal na Assembleia da República. As linhas gerais da proposta de Orçamento do Estado para 2017 foram apresentadas aos partidos pelo ministro das Finanças na quarta-feira na Assembleia da República.

No final dessa série de reuniões, o secretário de Estado dos Assuntos Parlamentares, Pedro Nuno Santos, afirmou que até à aprovação final do Orçamento do Estado (OE) todo o tempo é de “negociação” com os partidos que viabilizam o Governo, mas garantiu que, em 2017, a carga fiscal vai baixar.

“Pela segunda vez, a carga fiscal vai baixar. De aumentos brutais de impostos percebem alguns partidos da oposição, não este Governo”, vincou Pedro Nuno Santos, secretário de Estado dos Assuntos parlamentares, no final de reuniões na Assembleia da República com os todos os partidos à exceção do PS, que apenas à noite se reuniu com o Governo.

Em causa estava a apresentação das linhas gerais do Orçamento para 2017, um documento que, advogou Pedro Nuno Santos, “consolida os avanços” já feitos em 2016 pelo executivo viabilizado no parlamento por PS, BE, PCP e “Os Verdes”: “Há um trabalho em curso que está a correr bem. Mais uma vez os quatro partidos que sustentam maioritariamente este Governo estão a trabalhar de forma séria, cuidada, exigente, para que consigamos ter um Orçamento aprovado por uma maioria parlamentar”, declarou o governante.

A proposta do Governo de Orçamento do Estado para 2017 vai ser discutida na Assembleia da República na generalidade a 3 e 4 de novembro e o debate na especialidade em plenário ficou marcado para os dias 24, 25 e 28 de novembro. Segundo o calendário fixado em conferência de líderes, a 29 de novembro será o encerramento do debate e a votação final global da proposta do Governo de Orçamento para o próximo ano.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Conselho de Ministros dá luz verde à proposta de Orçamento do Estado 2017

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião