Sobretaxa: corte de 25% já em janeiro

  • Leonor Rodrigues
  • 14 Outubro 2016

Os contribuintes nos escalões mais baixos do IRS já não vão ter de pagar a sobretaxa no início do próximo ano. Os restantes vão ser aliviados em 25% por trimestre, até à totalidade, em outubro.

Depois de se saber que o fim da sobretaxa do IRS deveria acontecer de forma faseada, sabe-se agora que as diferenças vão ser sentidas já no início do próximo ano. À semelhança do esquema da reposição dos salários dos trabalhadores da função pública, no Orçamento do Estado, que vai ser discutido esta sexta-feira, deverá constar que quem se encontrar nos escalões mais baixos do IRS (até aos vinte mil euros anuais) já não vai pagar nada em janeiro e, os restantes contribuintes, mesmo os que têm rendimentos mais altos, vão pagar menos 25% em cada trimestre de 2017. A partir de outubro do próximo ano, já não deverá haver pagamento da sobretaxa.

Ainda assim, este esquema ainda pode sofrer alterações, dado que os contribuintes presentes no escalão dos sete mil aos 20 mil euros e dos 20 mil aos 40 mil euros representam 70% do valor que a sobretaxa rende ao Estado, diz o Dinheiro Vivo. Em janeiro, mais de cinco milhões de contribuintes já não vão ter de pagar a sobretaxa.

Recorde-se que a sobretaxa de IRS teve início com o anterior Governo, em 2011. Mais tarde, depois de o Tribunal Constitucional travar o corte de um dos subsídios da função pública, o executivo avançou então a atual sobretaxa, paga mensalmente através da retenção na fonte dos trabalhadores por conta de outrem e ainda dos pensionistas. Neste ponto, o Orçamento do Estado vai eliminar a Contribuição Extraordinária de Solidariedade (CES) em todas as pensões e também o aumento das mesmas.

Texto editado por Mariana de Araújo Barbosa.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Sobretaxa: corte de 25% já em janeiro

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião