Snapchat deixou de ser uma rede social

  • Juliana Nogueira Santos
  • 17 Outubro 2016

Em contagem decrescente para março, mês da entrada em bolsa da tecnológica, a missão da empresa sofreu uma ligeira alteração.

É difícil explicar o que é a Snapchat: começamos por dizer que é uma aplicação móvel, assim não dá para enganar. Mas depois chega a sua função: é uma rede social, um serviço de mensagens instantâneas, uma plataforma de edição de fotografias ou uma oportunidade de descobrirmos como seriamos se tivéssemos nascido cachorrinhos. A startup californiana resolveu a nossa inquietação e, renegando a anterior designação de “plataforma de storytelling”, afirmou-se como uma empresa de fotografia.

A Business Insider revela que esta atualização da marca foi feita de forma tão subtil que nem sequer teve direito a qualquer comunicado ou celebração. As diferenças foram notadas no texto que acompanha as propostas de recrutamento da empresa: anteriormente era anunciada a oportunidade de “construir a melhor plataforma de storytelling do mundo”, enquanto agora estas propostas começam com uma afirmação clara e direta: “A Snap Inc. é uma empresa de fotografia”.

A imagem superior mostra a antiga denominação na página de recrutamento. A inferior revela o processo de reinvenção da marca.
A imagem superior mostra a antiga denominação na página de recrutamento. A inferior revela o processo de reinvenção da marca.Business Insider

 

Com esta nova designação, a marca não pretende concorrer com as fabricantes de câmaras, mas sim “reinventar a câmara” e as suas utilizações, nomeadamente na questão da partilha e da instantaneidade. É também descrito na proposta que “os nossos produtos dão às pessoas o poder para se expressarem, viverem no momento, aprenderem acerca do mundo e divertirem-se em conjunto”. O propósito não é novo, só nunca tinha sido explicitado pela empresa.

A vontade de refrescar a imagem da marca já tinha sido demonstrada quando a empresa mudou o seu nome para Snap Inc. e lançou simultaneamente os Spectacles, uns óculos de sol coloridos que permitem a gravação de snaps – vídeos de 10 segundos – e a sua publicação direta na aplicação. Estas mudanças afirmam-se como outro dos passos dados pela empresa antes da sua entrada em bolsa, planeada para março de 2017. Esta poderá vir a ser a oferta pública inicial mais poderosa desde 2013.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Snapchat deixou de ser uma rede social

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião