Petróleo volta a acelerar. Ganha mais de 1%

Queda das reservas nos EUA e sinais de cooperação da Rússia no travão à produção, ditam valorização de 1% do "ouro negro".

As cotações do petróleo seguem em alta nos dois lados do Atlântico, com o barril da matéria-prima a valorizar em torno de 1%. Trata-se do segundo dia consecutivo de subidas para o petróleo, cujos preços estão a ser apoiados pela quebra dos inventários de crude nos EUA na última semana e pelos sinais positivos em torno de um acordo entre a OPEP e a Rússia, que visa um corte combinado da produção de “ouro negro”.

O barril de Brent transacionado em Londres — referência para as importações nacionais — valoriza 0,87%, até aos 52,13 dólares, enquanto o o barril do crude negociado em Nova Iorque acelera 1,09%, para os 50,84 dólares.

Na semana passada, terá ocorrido uma quebra dos inventários na ordem dos 3,8 milhões de barris/dia nos EUA, deverá reportar a American Petroleum Institute, com o mercado a antecipar que o governo anuncie este quarta-feira um aumento das reservas nos EUA. Para além disso, não haverá a possibilidade de a Rússia conseguir escapar a um acordo que visa reduzir o excedente de produção de petróleo, segundo afirmou o secretário-geral da OPEP, Mohammed Barkindo, aos jornalistas numa conferência que decorreu em Londres.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Petróleo volta a acelerar. Ganha mais de 1%

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião