Goldman Sachs recruta através do Spotify

  • Juliana Nogueira Santos
  • 21 Outubro 2016

O banco de investimento está a apelar aos jovens nos intervalos das suas músicas favoritas.

A Goldman Sachs está à procura de novos talentos para incorporarem a sua equipa mundial e está a usar uma plataforma de recrutamento invulgar: o serviço de streaming de música Spotify. O banco de investimento apostou num anúncio de cerca de 30 segundos que está a passar nas versões da app nos Estados Unidos da América e no Reino Unido e que tem como objetivo atrair jovens de diversas áreas, com diversas experiências.

No spot pode ouvir-se: “Que conselho darias a uma empresa de tecnologia que está a entrar num novo mercado? Como ajudarias a fazer crescer as doações de uma universidade? Descobre isto e mais no Goldman Sachs, porque uma carreira aqui pode levar-te a todo o lado. É um sítio onde pessoas talentosas de diversos backgrounds vêm para marcar a diferença — desde a criação de uma nova aplicação à gestão de uma IPO. Somos pessoas que estudaram humanidades, ciências, matemática — seja que área for. Quando quiseres criar impacto de maneiras inesperadas, pensa Goldman Sachs. Carrega na imagem para fazeres o nosso Career Quiz e descobre o teu futuro.”

Goldman Sachs / Business Insider
Grafismo do anúncio, onde se pode ler “Formaste-te em algo que te importavas. Usa-o para criar impacto. Faz o Career Test da Goldman Sachs”Goldman Sachs / Business Insider

Neste Career Quiz, é pedido ao interessado que indique o tipo (licenciatura ou grau mais elevado) e área de formação, o nível de experiência e a localização pretendida.

O banco afirma que o Career Test é o ponto de partida para aprender mais sobre os departamentos e encontrar aqueles que mais se adequam.

Este anúncio faz parte da nova estratégia adotada pelo banco para alcançar as camadas mais jovens e reforçar a equipa júnior em todo o mundo e teve início com o lançamento de uma campanha na rede social mas popular entre os millennials, a Snapchat. Os pequenos vídeos surgem na lista de histórias quando o utilizador se encontra numa universidade, ou perto dela. Este é o primeiro grande recrutamento a ser feito fora das plataformas comuns, como o LinkedIn.

 

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Goldman Sachs recruta através do Spotify

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião