Apple pressiona Wall Street na abertura

  • Ana Luísa Alves
  • 26 Outubro 2016

Wall Street abriu esta quarta-feira em queda, penalizada pelo deslize das ações da Apple, mas também por fracos resultados empresariais.

O mercado acionista norte-americano abriu em queda pela segunda sessão consecutiva, num dia em que as ações da Apple condicionam a sua evolução. Isto depois de a tecnológica ter previsto um nível de vendas na quadra natalícia aquém do esperado. Os analistas antecipavam que a Apple conseguisse tirar mais partido da quebra da Samsung no mercado de smartphones.

As ações da tecnológica perdem 3,7% na abertura, num dia em que o índice S&P 500 cai 0,5 para 2.132 pontos, somando a quarta sessão de queda nas últimas cinco.

“Os resultados da Apple ficaram provavelmente em linha com as expectativas, mas ainda assim, vão subtrair ao S&P”, disse Bruce Bittles, estratega da Robert W. Baird.

O sentimento na praça norte-americana está a ser ainda condicionado pela época de resultados, com estimativas desapontantes para empresas como a Intel e a 3M. Entre os setores mais penalizados do S&P 500 estão as companhias aéreas e as retalhistas.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Apple pressiona Wall Street na abertura

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião