CDS quer que gestores da CGD divulguem salários

  • Lusa
  • 27 Outubro 2016

O CDS-PP anunciou que os centristas avançarão com uma iniciativa legislativa que obrigue os administradores da CGD a apresentarem declarações. Isto se Centeno "insistir com essa ocultação".

O porta-voz do CDS-PP, João Almeida, anunciou hoje que os centristas avançarão com uma iniciativa legislativa que obrigue os administradores da Caixa Geral de Depósitos (CGD) a apresentarem declarações de rendimentos, caso o Governo não o promova.

Se o ministro das Finanças insistir com essa ocultação, nós avançaremos com uma iniciativa legislativa para que os administradores da Caixa Geral de Depósitos tenham de tornar públicos os seus rendimentos”, anunciou João Almeida, aos jornalistas, no parlamento.

Referindo-se às declarações de hoje de Mário Centeno, segundo as quais os portugueses escrutinam o banco público através do Governo, o dirigente e deputado centrista exigiu “que o PS tenha uma posição definitiva sobre esta matéria”.

"Se o ministro das Finanças insistir com essa ocultação, nós avançaremos com uma iniciativa legislativa para que os administradores da Caixa Geral de Depósitos tenham de tornar públicos os seus rendimentos

João Almeida

deputado do CDS-PP

“Depois de parecer que o PS já tinha invertido o discurso relativamente aos administradores da CGD, depois do líder parlamentar do PS dizer que os administradores da CGD iriam prestar informação sobre os seus rendimentos, de um secretário de Estado do Ministério das Finanças ter dito que havia enquadramento legal para que isso acontecesse, hoje o senhor ministro das Finanças disse algo extraordinário“, afirmou.

João Almeida afirmou que, segundo Centeno, “mais ninguém precisa de saber absolutamente nada porque ele, ministro das Finanças, se considera suficiente para fazer essa fiscalização”.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

CDS quer que gestores da CGD divulguem salários

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião