BE: salários milionários na CGD são “inaceitáveis”

  • Ana Luísa Alves
  • 19 Outubro 2016

A deputada do Bloco de Esquerda manifestou esta quarta-feira o desagrado com o salário dos gestores da Caixa Geral de Depósitos

No debate preparatório para o Conselho Europeu, realizado esta quarta-feira na Assembleia da República, Catarina Martins salientou que para o Bloco não é aceitável que uma administração da Caixa Geral de Depósitos tenha de ter salários milionários“.

A deputada do Bloco acrescentou que não vai discutir com a direita se “o presidente do conselho de administração deve ganhar quatro ou cinco vezes o que ganha o primeiro-ministro, e se esse salário deve ser determinado por salários interiores ou por mercados”.

Catarina Martins mostrou o desagrado do seu partido para com os salários milionários para os gestores da CGD. “Se um salário ao nível de primeiro-ministro e a própria consciência da responsabilidade das funções não são o suficiente para garantir a qualidade e o desempenho da administração da Caixa, então nada será porque nós não acreditamos que a CGD e a sua administração tenham mais responsabilidades que um primeiro-ministro ou que um Governo”, acrescentou.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

BE: salários milionários na CGD são “inaceitáveis”

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião