Bank of America vê libra perto da paridade com o euro

O Bank of America diz que os investidores não estão a reflectir na totalidade os riscos do Brexit. Vê, por isso, maior pressão na libra. Pode ficar perto da paridade com o euro.

A libra tem perdido valor, mas ainda não caiu tudo. Quem o diz é o Bank of America-Merrill Lynch (BofA), que cortou as suas estimativas para a divisa britânica para refletir o impacto que o Brexit terá na economia do Reino Unido. Antecipa uma queda da moeda para perto da paridade com o euro.

Os analistas do banco de investimento reviram em baixa as suas estimativas para a libra face ao dólar e também contra o euro, segundo o Guardian. Se face ao dólar, a libra pode recuar de cerca de 1,20 dólares para 1,15 dólares, no caso do euro a paridade pode ficar à vista. Prevê que um euro passe a comprar 0,94 pences de libra face à anterior estimativa de 0,88 pences.

O BofA decidiu fazer este corte por considerar que a libra ainda não se ajustou na totalidade à realidade do Brexit. Ou seja, que os investidores ainda não aceitaram o impacto que essa decisão vai ter na economia.

 

O banco diz que os investidores ainda esperam que os processos judiciais apresentados pelos apoiantes do “Remain” irão impedir que Theresa May utilize o Artigo 50 para evitar uma votação ao Brexit no parlamento.

É, diz o banco, essa expectativa tem travado a libra. Mas o BofA diz que com ou sem votação, esse artigo será acionado, o que vai fazer com que a divisa britânica renove mínimos de 31 anos no arranque do próximo ano antes de iniciar um processo de recuperação nos meses seguintes.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Bank of America vê libra perto da paridade com o euro

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião