Contar dinheiro? Na Venezuela é ao peso

A escalada da inflação está a fazer com que o dinheiro pague cada vez menos contas. A nota de valor mais elevado já não vale nem dez cêntimos. São precisas cada vez mais notas para ir às compras.

Um, dois, três… Isso está a acabar, na Venezuela. Em vez de contarem o dinheiro, os venezuelanos estão a optar por pesá-lo. É que com a escalada da inflação, estão a ser precisas tantas notas para fazer um qualquer pagamento que se torna mais fácil pesá-las.

As balanças já não servem apenas para pesar os produtos. A Bloomberg dá conta da dupla função destes aparelhos: pesar os produtos e as notas com que os clientes pagam esses mesmos produtos. “Quando eles [os venezuelanos] começam a pesar o dinheiro, isso é um sinal de escalada na inflação”, diz Jesus Casique, da Capital Market Finance, à Bloomberg.

A Venezuela está a passar por um período de hiperinflação. Há uma escalada nos preços fruto da escassez dos mesmos num país que passa por uma situação financeira delicada provocada pela queda dos preços do petróleo.

Com a forte subida dos preços dos produtos, as notas compram cada vez menos. A nota de bolivar de valor mais elevado, de 100 bolivar, já não vale nem dez cêntimos, pelo que são precisas cada vez mais notas para ir às compras. O governo está a estudar introduzir notas de valor mais elevado. 500, 1.000, 5.000 e 10.000 bolivar são as denominações que estão a ser consideradas.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Contar dinheiro? Na Venezuela é ao peso

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião