E ao sétimo dia, o BCP sobe

O banco tem sido fortemente castigado em bolsa desde a fusão das ações. Quedas atrás de quedas que colocaram o valor de mercado do BCP abaixo dos mil milhões de euros.

Ao sétimo dia, o BCP regressa aos ganhos. O banco liderado por Nuno Amado está a registar uma das maiores subidas na bolsa de Lisboa, corrigindo do maior ciclo de quedas desde junho que atirou a capitalização bolsista da instituição para menos de mil milhões de euros.

Os títulos seguem a valorizar 1,32% para 1,229 euros. Esta valorização segue-se a seis sessões consecutivas de quedas que ditaram uma queda de 9,5% dos títulos do banco liderado por Nuno Amado.

Mantendo-se a tendência positiva registada nesta parte inicial da sessão, o banco poderá pôr um ponto final no ciclo negativo que regista desde que avançou com a fusão das ações.

O BCP fundiu 75 títulos num só, o que levou as ações a cotarem nos 1,3406 euros. Desde então, foi perdendo valor até chegar aos 1,213 euros registados no final da última sessão, uma cotação que avaliava o banco em pouco mais de 950 milhões de euros.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

E ao sétimo dia, o BCP sobe

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião