Gigantes petrolíferas juntam-se para… cortar as emissões de carbono

BP, Eni, Repsol, Saudi Aramco, Shell, Statoil e Total vão criar um fundo de investimento para reduzir poluição e apoiar energias renováveis.

Sete gigantes do setor petrolífero vão juntar-se e criar um fundo de investimento para desenvolver tecnologias que contribuam para a redução das emissões de carbono e para a promoção das energias renováveis. A notícia é avançada, esta quarta-feira, pela Reuters.

Segundo a agência financeira, os presidentes executivos da BP, Eni, Repsol, Saudi Aramco, Shell, Statoil e Total vão anunciar, na sexta-feira, os detalhes deste fundo, bem como outros passos para reduzir a emissão de gases poluentes.

O anúncio será feito numa altura em que o setor enfrenta grande pressão para tomar medidas para combater o aquecimento global. Aliás, o anúncio será feito no dia em que entra em vigor o Acordo de Paris — o tratado assinado por 195 países e com o qual se pretende acelerar a resposta global às mudanças climáticas.

Na sexta-feira, os responsáveis irão esclarecer como é que o fundo de investimento irá apoiar o desenvolvimento de tecnologias para reduzir as emissões e aumentar a eficiência dos motores. Ao mesmo tempo, o fundo irá financiar tecnologias que contribuam para reduzir os custos de captação e armazenamento de carbono.

As petrolíferas deverão, ainda, começar uma nova fase do plano para reduzir as emissões do setor, sobretudo através da redução da queima de gás excessivo e da imposição de limites à libertação de metano.

O grupo de sete petrolíferas pertence à Oil and Gas Climate Inicitive (OGCI), iniciativa criada em 2014 com o apoio da Organização das Nações Unidas (ONU) que conta com 11 empresas que respondem por 20% da produção de petróleo e gás.

Não são só as petrolíferas que estão debaixo de fogo. Ainda em setembro, a indústria da aviação decidiu apoiar uma proposta da ONU para limitar os gases poluentes emitidos pelos aviões em voos internacionais, num plano que pode implicar um custo anual de 21,3 mil milhões de euros.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Gigantes petrolíferas juntam-se para… cortar as emissões de carbono

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião