TC sobre os salários da Caixa: “Quando as coisas estão maduras, acontecem”

É desta forma que o presidente do Constitucional responde à pergunta para um milhão de euros: vai, ou não, exigir aos administradores da CGD que declarem os rendimentos?

“O Tribunal [Constitucional] tem os seus tempos. Quando as coisas estão maduras, acontecem“. É o próprio presidente do Tribunal Constitucional, Manuel Costa Andrade, quem o afirma, a propósito da polémica em torno dos salários dos administradores da Caixa Geral de Depósitos (CGD), em declarações ao Diário de Notícias.

O juiz-conselheiro respondia, assim, à pergunta para um milhão de euros: o TC vai, ou não, exigir que os administradores da CGD entreguem as respetivas declarações de rendimentos e património?

Já na semana passada, Manuel Costa Andrade tinha dito ao Expresso que “o Tribunal tem de ser estimulado e, até agora, ninguém o estimulou”, isto é, os juízes não foram abordados sobre esta questão.

Pelo menos, não diretamente, porque, para já, todos parecem ter a mesma opinião: é ao Tribunal Constitucional que compete decidir se os gestores da CGD têm, ou não, de declarar rendimentos. É o que dizem o Presidente da República e os responsáveis do PS.

Resta saber quando é que o assunto estará “maduro” o suficiente para o TC atuar.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

TC sobre os salários da Caixa: “Quando as coisas estão maduras, acontecem”

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião