Afinal, a Farfetch não quer entrar em bolsa

José Neves disse esta tarde no Web Summit, em Lisboa, que a Farfetch não está em contacto com bancos para entrar em bolsa.

A notícia foi avançada na última sexta-feira, pela Bloomberg. A empresa fundada por um português e único unicórnio nacional estaria em conversações com bancos internacionais para avançar com o IPO e a entrada na bolsa de Nova Iorque, já em 2017.

A notícia foi desmentida esta tarde por José Neves, CEO da Farfetch, em pleno palco principal do Web Summit, em Lisboa. “Não estamos em reuniões com bancos nem estamos à procura de entrar em bolsa. Não sei que fontes confirmaram à Bloomberg esta informação mas está errada“, disse o português.

José Neves era um dos participantes no painel sobre Tech, que abriu a primeira tarde de Web Summit no palco principal da conferência.

Ao ECO, em entrevista prévia à divulgação da notícia pela Bloomberg, José Neves disse ainda não ter “previsões de uma data para entrar na bolsa. Sabemos que vai acontecer nos próximos anos e estamos a preparar-nos”.

Apoie o jornalismo económico independente. Contribua

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso. O acesso às notícias do ECO é (ainda) livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo rigoroso e credível, mas não só. É continuar a informar apesar do confinamento, é continuar a escrutinar as decisões políticas quando tudo parece descontrolado.

Introduza um valor

Valor mínimo 5€. Após confirmação será gerada uma referência Multibanco.

Comentários ({{ total }})

Afinal, a Farfetch não quer entrar em bolsa

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião