Meo mostra quebra de receitas no terceiro trimestre

A Altice, dona da operadora Meo imputa a descida aos impactos regulatórios, caso contrário a receita teria aumentado 1,2%.

A Meo registou receitas consolidadas de 577,6 milhões de euros no terceiro trimestre, segundo os resultados divulgados esta tarde pela Altice. É uma quebra de 0,7% face ao período homólogo, mas sem impactos regulatórios teria sido o primeiro crescimento desde 2008.

A operadora francesa que em Portugal controla a Meo, adianta em comunicado que “a Meo voltou ao crescimento pela primeira vez desde 2008″ e que excluindo os impactos regulatórios relacionados com a descida de preço relativa às terminações móveis os proveitos da PT Portugal aumentaram 1,2%.

Ainda segundo o relatório a Meo registou receitas de 584,4 milhões de euros em linha com o verificado no período homólogo do ano anterior. Já o EBITDA consolidado cifrou-se em 266,2 milhões de euros, que compara os 264,7 milhões de euros registados entre julho e setembro de 2015. A margem do EBTIDA por seu turno cresceu de um trimestre para o outro passando dos 45,5% em 2015, para os 46,1% no trimestre deste ano.

Em termos de investimentos registou-se também um crescimento, passando dos 67,8 milhões de euros no terceiro trimestre de 2015 para os 99,9 milhões de euros no período em análise.

O número de clientes da operadora nacional cresceu de 396 para os 449 mil, enquanto as casas cabladas atingiam, a 30 de setembro deste ano, um total de 4,9 milhões.

Comentários ({{ total }})

Meo mostra quebra de receitas no terceiro trimestre

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião