Lucros da Allianz crescem 36% no terceiro trimestre

A maior seguradora europeia reportou 1,86 mil milhões de euros entre julho e setembro, acima dos 1,36 mil milhões reportados no mesmo período de 2015.

A Allianz registou no último trimestre deste ano um forte crescimento dos seus lucros, apoiada pelo crescimento das receitas do ramo vida e da unidade de seguros de saúde.

A maior seguradora europeia, reportou esta manhã que, entre julho e setembro, os seus lucros ascenderam a 1,86 mil milhões de euros, superando em 36% o resultado líquido registado em igual período do ano passado. Os resultados da seguradora alemã superaram as estimativas do mercado que, segundo a Bloomberg, antecipavam que os lucros tivessem totalizado 1,59 mil milhões de euros. Já a sua gestora de ativos Pimco reportou subscrições positivas pela primeira vez em mais de três anos, com os investidores a aplicarem 4,7 mil milhões de euros na gestora fundada por Bill Gross, que saiu da empresa há dois anos.

“Os esforços para desenvolver o nosso negócio num contexto muito difícil estão a dar resultados”, afirmou Dieter Wemmer, diretor financeiro da Allianz numa declaração disponibilizada esta sexta-feira. Desde maio deste ano que a seguradora germânica tem um novo CEO – Oliver Baete – que tem avançado com a venda de operações menos rentáveis e investido em tecnologia, visando incrementar os resultados que têm sido afetados pelo baixo nível de juros e pela nova regulação.

A Allianz confirmou ainda a meta de atingir um resultado operacional no intervalo entre dez e 11 mil milhões de euros, para a totalidade do ano.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Lucros da Allianz crescem 36% no terceiro trimestre

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião