Marques Mendes: “António Domingues fica na Caixa”

Marques Mendes garante que o presidente da Caixa já comunicou a sua decisão às Finanças. A equipa poderá perder até quatro elementos se o TC não aceitar manter a confidencialidade das declarações.

António Domingues vai manter-se em funções. A garantia foi dada esta noite por Marques Mendes no seu espaço semanal de comentário na Sic.

“António Domingues já tomou decisão e já a comunicou ao Ministério Finanças e até o terá feito por escrito”, disse Marques Mendes. “E os gestores da Caixa já decidiram que vão cumprir a lei “entregando as suas declarações de rendimentos e de património “e pedir, ao mesmo tempo, que haja confidencialidade”, acrescentou.

Mas mesmo que o Tribunal Constitucional não concorde “então os dirigentes, na sua maioria, vão decidir ficar em funções. A sair, no máximo serão três a quatro, sendo que dois serão os estrangeiros”, acrescentou, numa referência a Herbert Walter e Ángel Corcostegui.

Marques Mendes considera que “esta novela já dura a tempo demais e já ninguém tem paciência” e sublinha que o cerne da questão é que tenha existido um acordo entre o Governo e os gestores para não divulgarem as suas declarações de rendimentos e património. “O grave é que tenha existido acordo. Mais grave do que se o acordo foi ou não escrito, foi, além de o Governo ter feito o acordo, esconde-o, porque sabia que era um erro colossal”.

O comentador deixou ainda uma nota para os gestores: “Lei é lei”, ou seja, as declarações são para entregar sem “tentar provocar o poder político com atrasos e “a fazer ouvidos de mercador aos apelos de rapidez” na resolução da questão.

Marques Mendes deixou ainda uma nota para a “notícia positiva, excelente para o BCP e para a banca em geral”, a compra de 16,7% do capital do BCP por parte dos chineses da Fosun. O comentador relembrou que os chineses que já “detém vários investimentos em Portugal” e que são “um referencial de solidez” querem reforçar esta posição para os 30%, sendo de esperar que os angolanos da Sonangol façam o mesmo. “Uma prova de confiança no banco e de equilíbrio”, disse.

O comentar elogia “as circunstâncias em que foram feitas as negociações, que decorreram de forma consensual”.

E concluiu com outra novidade: no dia em que foi conhecida a entrada da Fosun no capital do BCP com 16,7% do capital, Mendes revelou que o banco liderado por Nuno Amado vai pagar, em fevereiro de 2017, os 750 milhões de euros que ainda deve ao Estado em CoCo’s (obrigações contingentes).

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Marques Mendes: “António Domingues fica na Caixa”

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião