Basirly. O seu futuro pode estar à distância deste clique

Aplicação estreita a relação entre videntes e clientes para facilitar o contacto: através de uma aplicação, pode ter uma visão... do futuro.

As mães-de-santo que se cuidem: Fouad Itani e Karim Charif chegaram. Foi a pensar na necessidade que as pessoas têm de querer prever o futuro que os dois fundadores da Basirly se juntaram para facilitar a vida aos curiosos. Depois de mais de 10 anos de experiência a desenvolver aplicações móveis e a trabalhar numa operadora de telecomunicações, Fouad Itani decidiu juntar a sua experiência à de Karim Charif, que tinha passado os últimos 15 anos a desenvolver infraestruturas, também no ramo das telecomunicações.

“Há um aspeto cultural muito forte no Médio Oriente e que ainda não sofreu uma disrupção pela tecnologia. Também estudámos outros mercados na Ásia, Europa e América e percebemos que havia grande potencial também nessas localizações”, explicam os fundadores, em entrevista ao ECO.

A aplicação é uma maneira de estreitar a relação entre os profissionais e os clientes: para isso, os fundadores criaram uma plataforma que permite aos clientes contratarem serviços aos prestadores de qualquer parte do mundo, apenas através de um clique. Consultoria áudio, leitura de tarot e de caras, o futuro nas borras de café, horóscopos, interpretação de sonho ou até a leitura nas linhas da mão são algumas das oito modalidades de previsão de futuro disponíveis.

O processo é explicado no vídeo seguinte:

Os primeiros passos do negócio estiveram literalmente ligados ao processo de adivinhar o futuro: os dois fundadores tentaram aprofundar o entendimento sobre o mundo da “leitura do futuro” e dos próprios videntes, de maneira a perceberem bem o mercado do ponto de vista, tanto dos prestadores como dos clientes. E rapidamente perceberam que o mercado precisava de um serviço assim: o crescimento foi muito rápido que a app passou depressa a uma versão internacional, em inglês, disponível para iOS e Android.

Basirly startup futuro

Já com mais de 60 videntes e adivinhos, a lista de prestadores de serviços da aplicação inclui algumas estrelas de televisões e rádios internacionais, nomes “muito conhecidos nos seus campos de conhecimento”, garantem os fundadores da Basirly. O processo de recrutamento obedece a uma análise de projetos passados, testes e feedback dos utilizadores, assim como o rating depois dos primeiros serviços prestados: a análise dos fatores ajuda, acreditam os fundadores, “a manter a qualidade e a melhorar os serviços”.

A partir do momento em que os videntes são contactados pelos clientes, a resposta tarda entre 30 minutos até poucas horas. O sistema de pagamento funciona por créditos.

Até ao momento, o negócio contou apenas com o investimento dos fundadores mas, com o crescimento da rede, a startup prepara-se para fechar a primeira ronda de financiamento Séries A no primeiro semestre de 2017. Com mais de 200.000 utilizadores espalhados pelo mundo, a Basirly quer apostar durante o próximo ano nos mercados da Turquia, Índia, América do Sul e Europa.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Basirly. O seu futuro pode estar à distância deste clique

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião