Carros de luxo? China aplica taxa extra de 10%

  • Lusa
  • 1 Dezembro 2016

A China quer promover o consumo racional. Para isso, lançou uma taxa adicional sobre os automóveis cujo preço de venda ultrapassa 1,3 milhões de yuans (177 mil euros).

A China criou uma taxa adicional de 10% sobre a compra de viaturas de luxo, a mais recente medida para desencorajar a ostentação das elites políticas e económicas, instadas a adotarem um estilo de vida menos extravagante.

O novo imposto, que visa veículos cujo preço de venda ultrapassa 1,3 milhões de yuans (177.000 euros), entrou em vigor hoje.

Este imposto tem como objetivo “orientar o consumo racional” e promover os carros com consumo energético mais eficiente, explicou na quarta-feira um comunicado do Ministério das Finanças.

O Presidente Xi Jinping, que lançou nos últimos anos uma campanha anticorrupção destinada a limpar as fileiras do Partido Comunista, virou-se recentemente para o modo de vida das personalidades políticas e empresários.

Pequim já tinha instituído uma taxa de 25% sobre todos os veículos estrangeiros importados.

A nova medida vai penalizar as marcas automóveis de luxo como a Ferrari, Rolls-Royce ou Lamborghini, bastante apreciadas na China. Mercedes e BMW também serão visadas.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Carros de luxo? China aplica taxa extra de 10%

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião